Fenômeno do crack se deve às falhas da família e do estado

Crack: uma pedra no caminho e a série Entre a cruz e a espada, ambos de autoria de César Augusto Trinta Weber, foram livros lançados na terça-feira, dia 9 de novembro, pela EDIPUCRS na 56ª Feira do Livro de Porto Alegre, em sessão de autógrafos. Os exemplares estão à venda na barraca 31, localizada na Rua dos Andradas, e na livraria da editora situada no prédio 41 do campus central da universidade.

Com a primeira tiragem de 1.000 exemplares esgotada antes mesmo de seu lançamento, Crack chega à feira em sua segunda edição. O livro aborda a insuficiência do Estado e da família e a falta de políticas públicas na área da saúde. O autor explica que o fenômeno do crack, hoje, pode ser compreendido a partir da insuficiência da família, no sentido de acompanhar o desenvolvimento dos filhos, de educar e de trabalhar princípios mínimos e da insuficiência do Estado ao não oferecer educação e trabalho a todos, bem como de permitir a ocorrência da miséria e de situações de calamidade.

Quando uma das duas vertentes falha, a rua faz o convite ao uso das drogas, destaca o autor. Para Weber, a obra surge como uma forma de cumprir com o dever de consciência, de fazer reverberar as iniciativas do setor privado e público e de enfrentar o problema. “Não poderia me furtar de lançar um olhar crítico”, afirma o autor.

Na oportunidade, também foi lançada uma segunda edição ampliada da obra Quando o médico do SUS é levado aos tribunais, primeiro volume da série Entre a cruz e a espada, juntamente com as continuações O prontuário médico e a responsabilidade civil e O trabalho médico e o dano moral, ambas em primeira edição. Segundo o autor, o nome da série que debate a judicialização da saúde, é uma interface dual, em que a cruz representa a salvação e a espada, a Justiça. Ele adianta que os próximos volumes serão lançados no primeiro semestre de 2011.

Texto produzido pela aluna da disciplina de Assessoria de Imprensa/Curso de Jornalismo da Faculdade de Comunicação Social da PUCRS (Famecos), Jaíne de Almeida Martins.